Buscar
  • Dra. Paula Versiani

PARA COMEÇAR, VAMOS DO COMEÇO

Primeiro post do início de mais uma novidade para mim!! Acredito que se você chegou até aqui já me conhece de algum outro lugar. Não vou, então, gastar linhas falando sobre quem sou. Ficarei lisonjeada se desejar conhecer um pouco mais de mim, e para isso visite minha rede social @paulavalleversiani2.

Me aventurarei nesse blog para dividir vivências e conhecimentos com um número maior de pessoas e poder contribuir para mudanças positivas na vida daqueles que me visitarem.


Sempre entendi que tão importante quanto ter saúde, é ter educação. Quando digo educação digo no aspecto amplo mesmo, me refiro a ter acesso à informação, a saber interpretar a informação adquirida, a saber questionar, a saber como se comportar em relação a isso, a saber falar com o outro e a ouvir.


Vivemos em uma realidade em que a informação está amplamente disponível e de fácil acesso para muitas pessoas. Quem nunca pesquisou no Google algum sintoma ou diagnóstico recebido? O mundo vem mudando rapidamente, evoluindo, e, cada vez mais, vamos nos deparando com as verdades transitórias.


O médico hoje, no meu entendimento, não pode, e nem consegue ser o dono de todo o conhecimento e a autoridade sobre o paciente. Aquela figura superior não mais pode existir (sei que aqui alguns colegas vão discordar....).


Estamos acostumados com uma medicina altamente curativa, intervencionista e de alto custo. Que eu deixe aqui bem claro que amo toda a evolução pela qual vivemos, sou uma apaixonada com a Cardiologia Intervencionista e não vejo a indústria farmacológica como o vilão dos vilões. Mas se queremos buscar por saúde, o prioritário deveria ser a nossa preocupação e foco com medidas preventivas e busca por qualidade de vida.


E aqui amarro as demais informações apresentadas: um dos papéis do médico, e com o qual eu gostaria de me comprometer, é ser um parceiro na educação do paciente. O médico participa na orientação sobre saúde, sobre quais informações, dentre as milhares da internet podem ser levadas a sério e na orientação e estímulo de medidas de mudança de estilo de vida.


A saúde e a qualidade de vida é responsabilidade individual e escolha diária. Todos os dias fazemos escolhas que influenciam nossa saúde física e mental. Somente tendo consciência das consequências dessas escolhas é possível julgar o melhor para nós mesmos.


Faça um acordo com você mesmo e estarei aqui para ajudar!

4 visualizações0 comentário